Quarta Fev 20

Arquivo

Guns N’Roses + Plebe Rude – ao vivo

Atenção, abrir em uma nova janela. ImprimirE-mail
Twittar este Artigo

Axl Rose volta a tocar com Slash e Duffy McKagan e traz show intenso e impactante à Pedreira Paulo Leminski

Acima, Axl comanda a festa na Pedreira; abaixo, o vocalista em seu piano de cauda e tendo de volta a companhia de Duff McKagan e SlashTexto por Cesar Munhoz

Fotos de Katarina Benzova/Divulgação

A transmissão ao vivo do show do Guns N’Roses no Rock in Rio de 1991 (veja aqui) foi provavelmente a imagem televisiva que mais me marcou quando criança. Gravei em VHS e assistia em loop, para terror de minha mãe, que não aguentava mais ouvir o filho miando “aaaahhhh, where do we go now A-HA-HA-HA-HA-HA-HAAAA”. Centenas de milhares de pessoas pulando juntas, em êxtase, sob comando de uma banda fantástica, no auge do tônus muscular, canções redondas e pegada 120%.

Por isso, quando soube que ia cobrir o show na Pedreira Paulo Leminski, fiz questão de ter o dia 17 de novembro livre. Nenhum compromisso, nenhuma reunião, só me planejar e preparar para chegar lá animado, feliz que ia presenciar a tal da banda do cara que miava e fazia centenas de milhares de pessoas pularem juntas. E do cara de chapéu também <3

Cheguei na Pedreira por volta das 16h, peguei uma cerveja e um cachorro-quente e fiquei na sombra observando o palco e as pessoas. Liguei o Growler e o Scruff (googleia...). Por volta das 18h começou o show de abertura da Plebe Rude. O som estava baixo, como bem notado pelo Clemente, mas rolou. Tinha uma ou duas caras feias que, pelo papo que consegui captar, não sabiam quem era a Plebe. Não gostavam da música e faziam cara torta. Acontece. Cada um com aquilo que tem no seu fone de ouvido. “Até Quando Esperar” foi superbonito, porque absolutamente todo mundo cantou junto. É a força da boa canção brasileira marcada na memória das pessoas. Permanece tatuada nos tímpanos, não importa de onde veio. A ideia estava ali, alguém a pegou no colo e executou com maestria em uma das disciplinas artísticas mais difíceis: a música pop.

Acabou o show da Plebe e minha pele estava queimada do sol e minha energia um pouco baixa. Tudo começou a me afetar, me irritar. As pessoas que não conheciam Plebe Rude de repente viraram um problema. Nenhum dos apps dava match. O sol na cabeça. O show do Guns N’Roses (com direito a Slash e Duffy McKagan de volta à formação) veio com um atraso OK, após vários disparos de pistola no telão. Tudo, na verdade, começou com os backdrops prévios. Show de arena é mesmo como ver televisão e quanto mais você pode pagar, maior é o tamanho da sua televisão durante o show. Éramos mais de 20 mil pessoas, durante 20 minutos, olhando para uma um emblema da banda em 3D no telão, girando… As rosas choram sangue dourado e as pistolas disparam. A cada disparo, uma nova demonstração de histeria da plateia. Durante 20 minutos. É de se mijar.

O Guns entrou no palco e a Pedreira menstruou com “It’s So Easy” e “Mr. Brownstone”. Esta segunda tem um gingado delicioso, pra dançar serpenteando, como o Axl, como o Ney Matogrosso, como o Rubi, como a Liniker. E foi uma delícia ver todo mundo pulando, ali, de novo. Ser parte daquilo. O show satisfaz logo no começo, porque o primeiro segmento é uma sequência de hits que culmina com “Welcome To The Jungle”. Guns não precisa esconder hits para o final do show. É tudo muito impactante, tudo pisca muito, as guitarras rasgam, as memórias chegam e as emoções oscilam muito e com intensidade. Não há clima de revival, há clima de aqui e agora <3

Em “Sweet Child O’ Mine”, fico meio de coração partido com a plateia, porque ninguém pula. A essa hora há dezenas de milhares de registros mal filmados de “Sweet Child O’ Mine” tocando na Pedreira circulando de whatsapp em whatsapp, mas ninguém pulou. “November Rain” é um momento videoclípico. Tudo gira em torno do Axl no piano, overwhelming. A presença, a voz, os aneis, a performance. Axl is a true rock’n’roll diva and I love him for that.

O show terminou, a bateria do meu celular acabou e fui pra casa a pé. Estava blueballed porque os apps não deram matches e queimei, na caminhada, a energia acumulada durante um show que me pegou pelos cabelos, me jogou na parede, me chamou de lagartixa e abusou das minhas emoções.

Set List Guns N’Roses: “It's So Easy”, “Mr. Brownstone”, “Chinese Democracy”, “Welcome To the Jungle”, “Double Talkin' Jive”, “Better”, “Estranged”, “Live And Let Die”, “Rocket Queen”, “You Could Be Mine”, “You Can't Put Your Arms Around A Memory/New Rose”, “This I Love” “Used To Love Her”, “Civil War”, “Coma”, “Speak Softly Love (Love Theme From The Godfather)”, “Sweet Child O' Mine”, “Out Ta Get Me”, "Wish You Were Here/Layla”, “November Rain”, “Yesterdays”, “Knockin' On Heaven's Door”, “Nightrain”. Bis: “Angie/Patience”, “The Seeker” e “Paradise City”.

Set List Plebe Rude: “Sua História”, “Brasília”, “Anos de Luta”, “O Que Se Faz”, “Johnny Vai à Guerra (Outra Vez)”, “Este Ano”, “Minha renda”, “Proteção/Selvagem” e “Até Quando Esperar”.


Artigos Relacionados:
Artigos Relacionados - Recentes:

Comentarios (0)Add Comment

Escreva seu Comentario
menor | maior

security code
Escreva os caracteres mostrados


busy

Novos Downloads

Vanilla Dreams (mb extra) Punkake
Vanilla Dreams (mb extra)
Wasabi EP (mb 93) Magaivers
Wasabi EP (mb 93)
Bunch Of Grapes (mb 92) Tangerines And Elephants
Bunch Of Grapes (mb 92)

Videos Recentes

View Video
Jack Is Only Happy When She's Up On The Stage
View Video
Arisen My Senses
View Video
When You Die
View Video
Não Fui Eu
View Video
Already Gone
View Video
E o Meu Peito Mais Aberto que o Mar da Bahia
View Video
Palmeiras ao Vento
View Video
Inocente